Manobras de distração

Olá a todos.

Umas das coisas que
incentivo cá em casa é a exploração e para o Tiaguinho explorar verdadeiramente
não posso estar 24 sobre 24h com os olhos em cima dele (apesar de muitas vezes
ser necessário porque ele lembra-se sempre de fazer disparates)
É importante
explorarem porque só assim desenvolvem a criatividade, aprendem a brincar
sozinhos e se tornam mais autónomos. Não estou aqui a dizer que o
deixo sozinho durante muito tempo, o que quero dizer é que faço as minhas
coisas normalmente sem estar em cima dele constantemente. Por exemplo, se estou
a cozinhar e ele está no jardim, vou olhando para o que está a fazer, se está a
brincar algumas destas coisas…
 
…deixo-o à vontade, mas
sempre a ver de minuto a minuto. 

É claro que às vezes lá faz
as suas traquinices, arranca flores, abre a água, quer subir para onde não
deve, e nessas alturas convém estar em cima para não fazer asneira. De qualquer
forma consigo vê-lo da cozinha e isso torna tudo mais fácil.
(Por vezes também me tira do sério quando quer fazer a
mesma porcaria vezes sem conta)
Mas o que quero mostrar-vos
é aquilo que faço na cozinha como manobra de distracção. Não sou daquelas mães
que tiram, guardam e trancam tudo, deixando apenas os brinquedos disponíveis.
Penso que também é necessário compreenderem quais são os limites e, acima de
tudo, poderem explorar.
Por isso, na cozinha, não
tenho nada trancado. É lá que passo a maior parte do tempo e, consequentemente,
ele também. Tem de haver algo que o distraia, senão passa o tempo todo agarrado
às minhas pernas. Tenho, por isso, duas gavetas e um armário com utensílios e
brinquedos onde o Tiago pode mexer. As gavetas estão assim, com
objectos variados e nem sempre brinquedos
(consigo
ter duas gavetas só para ele graças ao “destralhanço” e organização).
(a da esquerda está mais composta com outros brinquedos mas estes tubos de cartão são uma excelente distração… para comer, por exemplo!) 
 
(Tudo desarrumado porque ele farta-se de tirar as coisas lá de dentro e depois tem de arrumar… à maneira dele)
E o armário está com formas
e tapetes de silicone, tacinhas, e outras coisas em que ele pode mexer sem se
magoar. Tem sido fantástico porque ainda hoje se distrai com isso. É claro que ele, volta e
meia, faz das suas mas o facto de estar sempre ao pé de mim ajuda a que eu
consiga evitar a maior parte dessas asneiras.
No resto da casa não temos
grandes bugigangas
(isso ajuda, claro) por
isso aplico o mesmo. É claro que, à conta disto, já me partiu algumas coisas,
poucas felizmente. Por vezes tenho que me chatear para impor os tais
limites que falei acima. Mas o saldo tem sido muito positivo porque vejo que é
uma criança feliz e cheia de vida e criança que nunca se magoa, não dá umas
quedas de vez em quando (sem grandes traumas) e não faz as suas asneiras, não acredito que seja uma criança verdadeiramente feliz.

Desejo um dia animado a todos.
Partilhar

5 Replies to “Manobras de distração”

  1. Também não costumo andar muito em cima da minha. Aliás, é mais ao contrário, ela é que ainda sempre em cima de nós.
    Tem alguma dificuldade em brincar sozinha 🙁
    Quer sempre um de nós ao pé!

  2. Especialmente Gaspas diz: Responder

    O meu rapazote nunca teve grande autorização de mexer nas gavetas da cozinha… hehe!!
    Aqui a mãe nunca deixou… (não gosto de passar metade do dia de rabo para o ar a apanhar coisas!) 😛
    Ultimamente lá o vou deixando abrir mas para tirar algo que eu ou ele precise e não para desarrumar. Esporadicamente deixo-o tirar 1 e só uma coisa para ele explorar…. mas despejar gavetas e armarios inteiros nunca teve autorização!! 😛

  3. Que ideia gira a das gavetas com coisitas para ele mexer. As crianças desde que em segurança, devem mesmo ser incentivadas a explorar. É assim que aprendem.

  4. É bom perceberem que também podem imitar os grandes e mexerem em algumas coisas que estão ao seu alcance. Afinal de contas nós também gostamos de mexer caso contrário não concretizaríamos as nossas ideias!! Liberdade à pequenada….com cuidado, claro!
    Beijinhos.

  5. Concordo contigo 🙂 Aliás não guardei nada da decoração da casa quando ele nasceu, só comprei aquelas borrachas que protegem de entalarem os dedos nas portas. Depois ensinei-o a não mexer ou como mexer em determinados locais. Acho importante não transformar a casa numa redoma mas ensina-los a não se magoarem e não fazerem disparates não só na nossa casa como nas casas dos outros.
    Beijinhos

Deixe uma resposta