Sobre a linguagem

O meu menino andava um bocadinho preguiçoso para falar mas agora já diz umas quantas palavras. Fica aqui o registo do que diz aos 23 meses:
Ainda não sabe que, se metermos uma moeda, o carro mexe!
– mamã
– papá
– avô
– avó
– carro ou popó (diz as duas)
– tchiu (adivinham o que é?)
– galo
– cão
– água
– mon (mais uma adivinha)
– roda
– bola
– pão
– roz (arroz)
– carne
– ténis
– gu (adivinhem…)
– xixi
– cocó
– tiz (o que será?)
– ga (gato)
– olá
– sim (e fica tãooo fofinho a dizer)
De momento é o que me lembro. Faz ainda imensos sons de animais, o barulho do avião (embora não diga a palavra), diz tssss para dizer triciclo  e imita o ressonar para dizer que quer dormir. Curiosamente não diz a palavra não (uma das primeiras que as crianças aprendem).
Noto que me tenta imitar mais vezes, eu digo a palavra e ele tenta imitar, coisa que não acontecia antes. Também sei que não fala mais porque não sente necessidade, é entendido (nossa culpa) e por isso…
E está assim o meu menino, acredito que ainda vá ser um tagarelas, vamos lá ver…
Desejo um dia expressivo a todos
assinatura
Partilhar

3 Replies to “Sobre a linguagem”

  1. A minha então é uma tagarela….nisso a escolinha fez muito bem (é a lei do desenrasca)!
    Ela já consegue mesmo manter diálogo.

    Quanto ao: "Ainda não sabe que, se metermos uma moeda, o carro mexe!" – mantém-no na ignorância por mais algum tempo, para vosso bem! 😛

  2. Olá! Gostaria de fazer um breve comentário apenas à última frase, como futura Terapeuta da Fala "Também sei que não fala mais porque não sente necessidade, é entendido (nossa culpa) e por isso…" 🙂 ..

    É natural que os pais consigam interpretar tudo o que os seus filhos pedem mesmo só ele apontando ou algo mais… No entanto, aos poucos tentem fazer-se que não estão a entender para tentar que ele produza mais palavras relativamente àquilo que ele quer. E se ele não disser, e continuar a apontar passado algumas tentativas, dão-lhe aquilo que ele pretende, tentando sempre acompanhar do nome respetivo daquilo que ele pretende ter.

    Um beijinho,

    Ana Raquel

  3. Anabela (Aproveitar a Vida) diz: Responder

    Olá Ana.

    Antes de mais quero agradecer ter tido um tempinho para fazer este comentário, que eu muito agradeço 🙂

    Depois quero dizer também que vamos fazendo, cada vez mais, aquilo que aconselha. O "problema" que eu sentia nele era que nunca tentava repetir o que dizíamos, não sei se por vergonha (que nesta altura ainda não têm muita) ou por não conseguir mesmo articular os sons (acredito a questão era esta mesmo).

    Como disse no último post, ele está agora na fase de tentar repetir tudo e mais alguma coisa e em menos de três dias começou a dizer (á maneira dele) primo, madrinha, azul, amarelo, Ti-a-go (assim, tipo soletrado), pé, "xau-xau" (adeus), batata, papão (personagem de uma história do Gombby), giz, Slvador, Gonçalo e Diogo (miúdos da explicação) e mais umas quantas palavras que lhe peço para repetir e ele fá-lo até muito bem.

    Acabo por ficar mais tranquila acima de tudo porque sei que nos entende perfeitamente, sejam pedidos, advertências, ralhetes, etc. E isso, sei que é um bom sinal.

    Bjs e fique à vontade para dar mais dicas, que deste lado agradecemos sempre.

Deixe uma resposta